sexta-feira, 24 de Outubro de 2014

BOM FIM-DE SEMANA ! E NÃO SE ESQUEÇA:

                                                     DE MUDAR A HORA



SUGERIMOS PARA ESTE FIM-DE-SEMANA

                                                                    NO ALANDROAL




                                                                       EM MONTEMOR


                                                                            EM ÉVORA


                                                             PORTEL -  ESTREMOZ


                                                                       REGUENGOS


A SER VERDADE… ESTAMOS FEITOS AO BIFE!

Segundo notícia do Jornal I:
 “ Em Évora é afixada, todos os meses, uma tabela com o número de multas que cada agente passa. Os melhores recebem benesses. Os piores são castigados.

Os que passam mais multas em determinado mês recebiam, pelo menos até agosto, bonificações (um dia de folga por mês) e os que ficam na cauda da tabela (assinalados a cor-de-laranja) são castigados.

No entanto... Segundo noticia/entrevista da Rádio Campanáro:

GNR de Évora nega compensações ou punições conforme o número de multas, dizendo que o que existe “é um instrumento de trabalho para os comandantes conhecerem o trabalho desenvolvido pelos seus militares.

Contatado, pela Rádio Campanário, o Comando da GNR de Évora nega a existência de bonificações ou punições aos militares consoante o número de multas que passem. “não é pratica corrente na Guarda Nacional Republicana recompensar ou punir militares por motivo de maior ou menor numero de autos elaborados”, afirma o Major Rogério Copeto.
O Oficial de Relações Públicas do Comando não desmente a existência dos documentos, dizendo que “é um documento que dá conta do número de autos elaborados por cada um dos militares do posto de Évora, mas daí não advém qualquer consequência para os militares.”

“Repudiamos é essa informação, de que alguém como fonte anónima, dá conta de que há militares punidos e recompensados por motivo desse maior ou menor número de autos, e isso não é verdade”, acrescenta o Major Copeto, ressalvando ainda que “o documento existe, como existem outros documentos, que dão conta da assiduidade, dão conta da elaboração do expediente, pois trabalho dos militares do posto territorial é muito variado e abrangente.”
                                                   SENDO ASSIM... ESTAMOS MAIS DESCANSADOS

IMPRENSA DO ALENTEJO QUE PODE ADQUIRIR HOJE


CRONICA DE OPINIÃO TRANSMITDA HOJE PELA RÁDIO DIANA/FM

                                        O combate à evasão fiscal

Sexta, 24 Outubro 2014 07:46                
O combate à evasão fiscal tem sido uma forte aposta deste Governo. Com resultados visíveis.
Contudo, como de costume, criticaram-se as medidas implementadas pelo Governo para travar a evasão fiscal.
Criticou-se o benefício fiscal concedido aos contribuintes que fizessem registar o seu NIF nas faturas respeitantes às despesas na restauração, nos cabeleireiros e nas oficinas.
Criticou-se o sorteio semanal de automóveis para os contribuintes que fizessem registar nas suas faturas o respetivo NIF.
Em boa verdade o aumento da receita fiscal é proveniente, em grande parte, do resultado daquelas medidas.
Mas os resultados aí estão. Façamos justiça. Foram medidas que tiveram um efeito bastante positivo na redução da fraude e evasão fiscal.
O simples ato de solicitar a fatura contribui positivamente para e eficiência da máquina fiscal e para reduzir a economia ilegal (apelidada de paralela). O programa e-fatura, que permite ao contribuinte aceder de uma forma simples à sua área e, quer registar faturas, quer visualizar os seus benefícios fiscais, também melhora esta relação de confiança entre a Autoridade Tributária e o contribuinte.
Não tenho memória que a máquina fiscal alguma vez tenha apresentado resultados tão relevantes em sede de combate à fraude e evasão fiscal.
É um combate para que todos devemos contribuir se quisermos um pais social e fiscalmente mais justo.
Entendamos pois a Autoridade Tributária como uma amiga dos contribuintes. Pelo menos é dessa forma que a vejo.
Este combate também tem estado na agenda da UE, da OCDE e de outras organizações, pelo que não será um problema apenas do país, é um problema que assume uma escala global.
Contudo, em Portugal é fundamental baixar a carga fiscal. Os efeitos do elevado endividamento do país e do programa de assistência, nesta matéria, ainda são bem visíveis.
Pelo que, para atingir aquele objetivo é necessário continuar, de uma forma muito determinada, o combate à fraude e evasão fiscal, reduzindo um dos grandes problemas com que temos convivido, ou seja, a economia paralela.
Uma das condições para baixar impostos estará precisamente na redução da economia paralela, permitindo-se assim maior justiça fiscal e, permitindo ainda que todos aqueles que tem contribuído para o equilíbrio financeiro do país, através do pagamento dos seus impostos, possam ver essa tão almejada redução efetivar-se.
O secretário de Estado dos Assuntos Fiscais tem sido o rosto visível deste combate e das medidas que o Governo implementou nesta matéria. Deu a cara por elas, pelo que será ele, em primeiro lugar, que deverá receber os louros pelos resultados conseguidos.
Rui Mendes


DIVULGAÇÃO

                                                      REGUENGOS DE MONSARAZ


O ciclo de espetáculos Outubro Mês da Música vai homenagear o cante alentejano na sexta-feira, dia 24 de outubro, pelas 21h, no Auditório Municipal de Reguengos de Monsaraz, com a exibição do documentário “Alentejo, Alentejo” e atuações de grupos corais.

Além da projeção do filme, a noite de sexta-feira será também preenchida com as atuações do Grupo Coral da Casa do Povo de Reguengos de Monsaraz, Grupo Coral da Freguesia de Monsaraz, grupo os Bel´Aurora e do Grupo Gente Nova de Campinho. O ciclo de espetáculos vai encerrar no dia 25 de outubro, às 17h, com o concerto da Banda da Armada, no Pavilhão Multiusos do Parque de Feiras e Exposições.

                                                             MONTEMOR


DESPORTO NO FIM-DE-SEMANA

FUTEBOL


Grupo B
Estrela Pardais – S. Domingos – 25/10
United – Bairrense Alandroal – 26/10
S. Bento Ameixial – Bardeiras e Vimieiro 26/10

Grupo C – 25/10
Foros Fonte Sêca – U.D. Machedense
G.D.F. Monsaraz – A,C. Mina do Bugalho
S.A. Mouranense – A.D.C. S. António Baldio.

Distritais de Évora

Divisão de Elite
Lavre – Borbense
Oriola – Cabrela
Perolivense – Escouralense
Juventude – Calipolense
Sporting Viana – Monte Trigo
Lusitano – Redondense.

Divisão de Honra       
Canaviais – Arraiolense
Fazendas do Cortiço – Estremoz
Santana do Campo – Valenças
S. Bartolomeu do Outeiro – Portel
Corval – Alcaçovense

Tornei Preparação 1ª Divisão
S. Romão – Canaviais B
Aguiar – Giesteira
Montoito – Estrela de Vendas Novas


Nacional de Seniores – Série G
Sacavenense – Loures
Fabril Barreiro – União de Montemor
1º Dezembro – Pinhalnovense
Atlético Malveira – Casa Pia
Sintrense – Cova da Piedade

Série H
Aljustrelense – Louletano
Lusitano V.R.S.A. – Ferreiras
Quarteirense – Atlético Reguengos
Moura – Angrense

FUTSAL
Nacional II Divisão
União de Montemor – Operário Lagoa

Taça de Portugal - Seniores Femininos
Almansor - G.R. Merches

Distrital Juvenis
Almansor B - Almansor A

RUGBY

Nacionais - Divisão de Honra
R.C. Montemor - C.R. Arco de Valdevez,





quinta-feira, 23 de Outubro de 2014

DUQUES E CENAS - Rubrica do Dr. João Luis Nabo

                                    O Princípio de Peter Passos



Estamos sempre a falar e a escrever sobre a mesma coisa nesta altura do ano. O que não é bom sinal.
Educação, Escola, Professores, Ministério da Educação, Ministro da Educação. Devia haver um elo que unisse todos estes conceitos. Supunha-se que, para haver Educação, devia haver uma Escola servida por Professores que, estando ligados ao Ministério da Educação, conseguissem respeitar o seu Ministro mais as suas estranhas e ínvias decisões. Mas o seu Ministro não quer ser respeitado. Não quer, porque acha que o caos que neste momento reina no seu Ministério é por culpa dos serviços, dos computadores, das fórmulas matemáticas que regem os concursos, da Internet, dos Professores que se recusam a fazer provas de avaliação após inúmeros anos de serviço entre outras minudências, vielas e travessas.
A questão coloca-se: estará Nuno Crato consciente do mal que as suas políticas estão a fazer à Educação deste país? Eu acho que está. E os superiores de Crato também estão. O que falta naquela gente toda é coragem e vontade política para alterar o sistema de contratação. Como escreveu recentemente José Manuel Fernandes (JMF) no Observador online, a solução para evitar tais confusões seria a atribuição às escolas e aos directores de uma autonomia total para contratar atempadamente os professores considerados pelo director adequados para a equipa. O que JMFnão prevê é o pôr em prática da tradição que já vem do tempo de D. Afonso Henriques, que Deus o tenha: contratar os amigos e deixar de fora os inimigos. Portanto, ainda não será por aí que a coisa se resolve.
E recoloca-se a questão: não faltará naquela gente um sentimento de respeito pelos alunos, pelos pais e pelos professores? Falta. Mais: o que aquela gente não tem é um pingo de vergonha para, assumindo os graves erros perpetrados, enrolarem a trouxa e marcharem. Há, contudo, uma conclusão que é a única coisa que se aproveita no meio desta trapalhada toda: a verificação constante e diária do Princípio de Peter, que diz: “Numa hierarquia, qualquer funcionário tem tendência para subir até ao nível máximo de incompetência.”
Estamos, sem dúvida rodeados de incompetentes que sabem que o são mas que se manifestam diariamente como mártires - trespassados pelas setas da incompreensão e da cabala política - de um povo que não compreende o seu esforço em prol da salvação da pátria. E parece-me, pelo que tenho visto, ouvido e lido, que o Princípio de Pedro Passos transmite uma imagem mais clara do conceito original... do que o próprio original.
É por estas e por outras que prefiro ir ao fundo de vez a ser prolongadamente torturado por gente daquela classe sem classe.

João Luís Nabo
In "O Montemorense", Outubro de 2014

NO ALENTEJO

Tal como um pouco por todo o país, alunos do ensino básico e secundário de Évora manifestaram-se esta manhã para exigir mais investimento nas escolas.

Música, exposições, demonstrações e cerimónias religiosas marcam as comemorações deste ano do Dia do Exército Português, que vão decorrer até domingo, 26, em Beja.

A Direção Regional de Cultura do Alentejo enviou para o Ministério Público o processo da Igreja das Mercês, em Évora, que sofreu danos na sua estrutura, devido à construção de um hotel.


O Festival Internacional Rubis Gás Balões  de Ar Quente está de regresso pelo 18º ano consecutivo ao norte alentejano, que reunirá participantes oriundos de diversos países europeus. A 18ª edição do festival terá lugar em Alter do Chão, Crato e Fronteira, no Alentejo, de 9 a 16 de Novembro.



DIVULGAÇÃO


EM DOIS MINUTOS REVEJA A HISTÓRIA QE FOI MUDANDO O MUNDO

quarta-feira, 22 de Outubro de 2014

NOTA DE IMPRENSA DA C.M.A:

Concerto Didático encerra Programa para a Educação Patrimonial – 2014

O Alandroal foi o local escolhido pela Direção Regional de Cultura do Alentejo para a realização de um Concerto Didático de encerramento da 3ª edição do Programa de Sensibilização para a Educação Patrimonial a acontecer dia 26 de outubro, às 17 horas, no Auditório do Fórum Cultural.
O concerto, a realizar pela Brass Band da Casa do Povo de Lavre e cuja entrada é livre, dirige-se ao público em geral e integra as Comemorações do Mês da Música, contando com o apoio da Câmara Municipal de Alandroal.
A 3.ª edição do Programa de Sensibilização para a Educação Patrimonial, que se encontra a decorrer desde março passado, tem por objetivo a formação de públicos e a sensibilização da faixa etária infantojuvenil para a importância da preservação e valorização do património cultural imóvel.





VAMOS FALAR DE CINEMA NO ALANDROAL

Por certo todos aqueles que visitam o Al tejo, já repararam da minha apetência pelo cinema. Prova-o a manutenção da rubrica “Cine Clube Domingos Maria Peças”, e pela frequência com que coloco vídeos alusivos a coisas de cinema.
Desde a adolescência que procurei no cinema o alargar de conhecimentos, ao mesmo tempo que por intermédio do mesmo foi possível aperfeiçoar o aspeto cultural e do saber.
Para quem se habituou desde jovem a “devorar” os filmes do Peças, a deslocar-se com outros amigos a Vila Viçosa para assistir a inesquecíveis projeções, mais tarde assíduo frequentador do Cine Povoense, a não perder uma sessão no desaparecido Salão Central, a ter lugar cativo no Cine Teatro de Reguengos, quando por estas localidades exercia a minha profissão, a ser fiel espectador do Curvo Semedo aqui em Montemor, enquanto o mesmo projetou cinema, não posso deixar de ter uma certa inveja dos meus conterrâneos residentes no Alandroal.
Felizardos é a palavra que me ocorre sempre que aqui dou conhecimento dos filmes que com a devida frequência são projetados no Alandroal.
Já repararam que por exemplo Évora, a capital do distrito, com o encerramento do Centro Comercial Eborim deixou de ter cinema, a não ser o levado a cabo por instituições particulares? Que em Montemor deixou de ser possível ver cinema no Curvo Semedo, motivado pelo desconforto do tamanho do Cine Teatro? Que os habitantes destas localidades para verem Cinema em 3D terão que se deslocar a Setúbal ou ao Montijo?.
Com frequência por aqui aparecem comentários lamentando e insinuando que a oferta cultural no Alandroal se limita ao Cinema. Não é verdade, mas mesmo que assim fosse, não poderia deixar de considerar que não é dado o justo valor à felicidade de ter à mão de semear este meio de cultura.
Certo é que graças às últimas presidências autárquicas o Alandroal pode orgulhar-se de ser uma localidade onde a sétima arte dá cartas. Nabais que criou um excelente espaço físico, dotado das melhores condições de conforto e sonoridade, que dá pelo nome de Forum Cultural Transfronteiriço. Grilo que foi pioneiro na aquisição da mais moderna tecnologia em matéria de projeção com a aquisição de máquina 3D. E por último Mariana Chilra que tem levado a cabo uma programação cinematográfica com a exibição dos filmes mais recentes.
Ir ao Cinema é um meio de integração no mundo que nos rodeia, é aprender, é recordar, é adquirir conhecimentos, é desenvolvimento, é motivo de discussão, de trocar pontos de vista. Ir ao Cinema é ter Vida e saber vivê-la.
Vá ao cinema
Chico Manuel



A CRÓNICA DE OPINIÃO TRANSMITIDA HOJE PELA RÁDIO DIANA/FM

                     Regressar ao passado ou preparar o futuro

Quarta, 22 Outubro 2014 07:39
No passado dia 15 de Outubro foi entregue pelo actual governo a proposta de Lei que suporta o orçamento de Estado para o ano de 2015. O documento na linha do que o Governo tem defendido nestes anos que leva de governação, não tendeu para a demagogia fácil e muito menos é um orçamento eleitoralista.
Todavia, compreende medidas que vão ao encontro dos mais desprotegidos e dos mais carenciados, colocando o fim dos cortes nos valores das pensões e reformas com valores até €4 600,00. As 500 mil famílias com direito à tarifa social de energia, terão uma redução de 34% na fatura da eletricidade.
Por outro lado, é amiga do consumo e do investimento, aliviando em 20% a redução remuneratória sobre os funcionários públicos, com vencimentos superiores a 1500 euros e reduz a taxa do IRC em 2%.
Na verdade, a proposta de orçamento apresentada pela actual maioria é a primeira sem o comando e a supervisão da TROIKA. De resto, afastou-se inequivocamente, do pensamento que deu forma à proposta de orçamento apresentada em 2009, que, no pico da crise nacional e internacional, propôs aumentos dos vencimentos na função pública de 2,9 % e previsões do crescimento absolutamente irrealistas. Não me lembro, todavia, para além dos Medinas Carreira destes país, de alguém proeminente se ter insurgido contra tanta irresponsabilidade.
Pelo que, os que criticam o actual orçamento, afirmando que a carga fiscal é brutal, não o desminto, porque se trata de um facto, não os vi a defender com mesma veemência a redução da despesa do Estado no que toca ás remunerações, pensões e reformas que ultrapassa os 70% da despesa total. A pergunta impõe fazer-se; se a redução da despesa tem, na maioria das vezes, um entendimento inconstitucional, como é que se faz para reduzir a receita, mantendo este nível de despesa. Não conheço em parte alguma, a existência de sol na eira e chuva no nabal.
Relativamente à discussão que corre nos media a despeito da marcação das próximas eleições legislativas, se devem ou não ser marcadas no primeiro semestre de 2015, em virtude da proposta de orçamento de Estado ter de ser apresentada até ao dia 15 de Outubro e se deverá ser o governo eleito ou o que está em funções a fazê-la. Em tese, é uma questão que deve ser colocada, a da legitimidade. Se o governo eleito terá de ficar condicionado na execução do seu programa pelo facto de não poder conceber o seu orçamento atento o prazo previsto para a realização das eleições legislativas, que, nos termos da Lei, deverão ter lugar entre 14 de Setembro e 14 de Outubro.
Porém, mudar as “regras” no fim da legislatura, só poderá ser por motivações de puro e bacoco tacticismo político-partidário, é para mim perverter a discussão politica democrática e conduzi-la para lugares distantes da credibilidade e aproximação dos cidadãos à Coisa Pública.
José Policarpo


SÍNTESE DE NOTÍCIAS REFERENTES AO ALENTEJO

As crianças de Terena vão continuar a ter aulas no contentor instalado na freguesia “até à data em que estiverem concluídas as obras do Polo Escolar de Terena”. (Afirmação de Mariana Chilra, Presidente da C.M.A., à Rádio Campanário)

O 12.º Festival Internacional de Curtas Metragens (FIKE) recebeu 1004 curtas-metragens. A partir desta terça-feira, e até sábado, o festival mostra ao público os 39 filmes selecionados, no Auditório da Universidade de Évora e, pela primeira vez, também no Teatro Pax Julia, em Beja.

Mais de 9500 pessoas não quiseram perder a oportunidade de provar diversas variedades de dois produtos pelos quais o Alentejo é bem conhecido e marcaram presença na sexta edição do evento «Grande Prova Mediterrânica – Azeites e Vinhos do Alentejo», que teve lugar no Centro Cultural (CCB), em Lisboa, a 17 e 18 de outubro.

Vai ser estudado e restaurado o fresco descoberto nas arcadas da Rua João de Deus, junto à Praça do Giraldo, no centro histórico de Évora.

Esta quarta-feira, os termómetros continuam a atingir temperaturas de Verão. O Sul lidera no calor, com Sagres e Beja a atingirem temperaturas máximas de 33º e 32º respectivamente.


A Ribeira do Raia no concelho de Mora vai acolher em 2015 os Campeonatos do Mundo de Pesca Desportiva de Veteranos e de Pescadores Portadores de Deficiência.

IMPRENSA




ALENTEJO DE CULTURA & DE LAZER